AMOR...A BASE DE TUDO NA VIDA!

AMIGOS QUE NÃO DÃO PENA, DÃO ORGULHO!

Venha e junte-se a um grupo de amigos que já participam do blog e se preocupam com o nosso país, com as nossas crianças, com a natureza, com os idosos e também com os animais. Faça essa "corrente pra'frente" e se gostar das postagens, COMENTE.Aqui você FAZ A DIFERENÇA! Sejam muito bem vindos!

AMIGOS INCENTIVADORES DO BLOG "BRASIL DÁ PENA" :

domingo, 5 de fevereiro de 2012

PARÁBOLA DA ROSA E O ROUXINOL



O texto original de Oscar Wilde - dramaturgo, escritor e poeta irlandês - intitulado "O ROUXINOL E A ROSA", ao longo dos anos foram ganhando novas versões, contudo, em todos eles ficou a marca da ingratidão de um ser humano por um animal. Há muito tempo atrás eu conheci uma versão bem legal do poeta, e resolvi postar aqui aos amigos.

"Era uma vez um jovem que vivia num pequeno povoado. Poucos habitantes e um cenário de muita paz e tranquilidade. Toda manhã, ao acordar, ele ia para a janela, tomar seu café com pão. As migalhas do pão caiam ao chão, no jardim de uma única roseira, mas que não florescia há muito tempo. E nesse cotidiano, vinha um lindo rouxinol e sempre comia aquelas migalhas de pão, achando que o jovem sempre jogava para ele se alimentar.
Até que um certo dia, esse jovem se apaixonou por uma linda mulher, e ao se declarar para a sua amada, ela exigiu dele como prova de seu amor, uma única rosa vermelha. Ele procurou então o jardineiro da casa, que lhe disse que infelizmente ele não vai achar nenhuma rosa vermelha nessa época do ano.
Triste e desolado, o rapaz se fechou em seu quarto. O rouxinol, atento à conversa do jovem com o jardineiro, pensou - Como fazer para ajudar o amigo, que até então ele achava, por lhe jogar as migalhas de pão? Pensou, pensou e foi falar com o Mestre dos Pássaros.
- Senhor, como posso fazer para colher uma rosa vermelha, meu amigo necessita de uma!
- Você pode até conseguir. Mas vai lhe custar um grande sacrifício. Pode até lhe custar a vida!
- Não tem problemas, faço qualquer sacrifício pelo meu amigo! Respondeu assim o rouxinol.
- Bem, para conseguir uma rosa vermelha, você vá até a roseira em noite de lua cheia, e quando for a meia-noite, você vai cantar bem alto, e esse canto pode ser forte demais para você. Vai valer a pena mesmo?Perguntou o Mestre dos Pássaros.
- Vai sim, pelo meu amigo vale qualquer sacrifício. E assim foi...

Numa noite de lua cheia, o rouxinol se embrenhou na roseira cheia de espinhos, com poucas folhas e sem nenhuma rosa e começou a cantar. Cantou, cantou, cantou o mais alto que pode e com esse canto nasceu uma rosa branca. Mas ele queria era rosa vermelha. E continuou cantando, cantando até que seu pequeno peito de uma ave tão mignon não resistiu e como se fosse um milagre, o seu sangue manchou a rosa branca, tornando-a vermelha e com uma cor rubra única.

Pela manhã, ao abrir a janela de seu quarto, o rapaz teve uma enorme surpresa. Lá estava a única rosa vermelha que ele precisava. Foi à roseira, a colheu e junto ao pé da árvore, viu o pobre rouxinol inerte e sem vida. E exclamou!
- Ainda bem que essa ave estúpida morreu. Não me deixava dormir à noite!!!
**********************************************************************************
Bem, o melhor desta parábola, aqui contada dentro de minhas reminiscências e de livros antigos já amarelados pelo tempo, vem ao final, quando o autor de forma bem oportuna e feliz,resume:
                         
                                 # Cada um dá o que tem no coração!
                   # E cada um recebe com o coração que tem.

Desejo um ótimo domingo e uma semana de muita paz à todos.                                  
Postar um comentário